O ano novo e o velho medo do que há por vir | Minha Ansiedade

A ansiedade e medo do novo




Medo: um sentimento que vem a tona em todas a viradas do ano...


Na nossa infância, as datas comemorativas são todas meio que iguais: as pessoas esperam, comemoram, se cumprimentam e as datas passam, dando lugar a espera pela próxima. A vida de uma criança é ciclo sem preocupações, com um único objetivo: se divertir. Dessa forma, para as crianças, datas comemorativas não são mais do que pretextos para brincar mais ainda.

Não vou dizer que eu era uma criança tão diferente assim das outras, eu também só pensava em me divertir, mas minha fase "tô nem aí" acabou mais rápido do que a das outras crianças. Minhas micro-preocupações (pequenas paranoias que sempre tive) começaram a crescer a medida que eu entrava na adolescência e “acordava pra vida”.

Antes de continuar, você gostaria de receber conteúdos sobre ansiedade no seu e-mail? Eu posso te mandar textos, e-books e vídeos que ajudam a lidar com a ansiedade. Clique aqui e se inscreva para receber.

Ao iniciar essa fase, pequenos problemas como expectativas, paranoias e medos foram aumentando e o princípio de uma grande avalanche de ansiedade começou a dar sinais que ia surgir.

Eu ainda não sabia o que era ansiedade e o que esse bichinho era capaz de causar, mas já sentia na pele vários sintomas que ele traz de presente.

Como eu não sabia o que era e o que causava, a ansiedade pra mim se apresentava na forma de um medo exagerado do que viria ou um medo de não vir (morte)

Veja

Na adolescência, imaginar que meu aniversário ou fim de ano estava chegando me gelava a espinha. Essas datas especiais me deixavam super nervoso.

Quando meu aniversário se aproximava minha cabeça não me deixava pensar em outra coisa eu não fosse o medo de ser o último aniversário. É até meio difícil de entender como um jovem aparentemente saudável tinhas essas fixações com o medo da morte. Eu mesmo não entendia.


No ano novo era da mesma forma, na minha cabeça seria o último ano novo, eu poderia morrer na virada e todos ficariam com aquilo marcado para sempre. 

Na verdade, esse papo de morrer e traumatizar as pessoas com a data sempre rondou minha cabeça. Não bastasse o medo de morrer, eu tinha medo de estragar os feriados dos outros kkkkkkkk. Hoje eu dou risada, mas isso já me tirou noites e noites de sono.

Quer acompanhar publicações sobre ansiedade no facebook? Curta a página www.facebook.com/blogminhaansiedade

Nos primeiros meses de medicação, quando eu já estava estabilizado, o medo de morrer nessas data deu uma trégua, pois eu já sabia que esse medo era fruto da ansiedade e isso de certa forma me tranquilizava. Só que tem um detalhe: o medo de morrer sumiu, mas o medo de viver para sempre medicado chegou!

Nessas data especiais que nos fazem pensar na vida, eu tentava me imaginar no futuro curado, sem precisar de medicado e tento a vida normal que eu nunca tive.

Ainda não consegui ficar 100% sem remédios, mas vejo que isso está cada dia mais perto de acontecer.

Hoje eu já não sinto tanta necessidade de medicação, mas não pensem que não sou grato a ela. A medicação me devolveu a coragem e certeza de que posso vencer a ansiedade. Mas essa história de amor e gratidão com a medicação fica para outra postagem. O foco dessa era mostrar que, assim como você, eu também tive/tenho bastante medo do futuro. Mas nem por isso temos que ter medo de viver.

Veja outras postagens que podem ser importantes para você:

Escrito por Welligton Magalhães.

O ano novo e o velho medo do que há por vir | Minha Ansiedade O ano novo e o velho medo do que há por vir | Minha Ansiedade Reviewed by Welligton Magalhães on janeiro 02, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.